Desgarrada fados – Zé Manel de Castro, Miraldina do Carmo, Vitor Manuel, Emanuel Soares

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Desgarrada fados
Participantes
Zé Manel, Miraldina do Carmo, Vitor Manuel, Emanuel Soares,

Restaurante Vossemecê

Desgarrada fados

+ INFO

Excertos da desgarrada

“…Os peidos saem do cu, como os pombos dos pombais, os pombos ainda voltam, os peidos não voltam mais…”

Mas há uma coisa que me intriga, até gostava de ser bruxa, para onde é que vai a carne quando a coisa ainda está murcha…”

Ze Manel de Castro

José Manuel de Castro Gomes – Fadista – Guitarrista – Letrista

Nasci em Lisboa (mais propriamente em Alvalade) na Rua Eugénio de Castro.
Bem cedo, ainda no período escolar, mostrei tendências para a música, participando no grupo coral da escola Patrício Prazeres, com a Avé Maria de Shubert.
Também fui ajudado nessa altura, por um professor que tocava realejo, o que me levou ainda mais a gostar de musica e tocar, sendo o realejo o primeiro instrumento que utilizei.
Cerca dos meus 18 anos gravei o meu primeiro disco com a colaboração de Jorge Fontes, com temas dele e de Matos Maia (locutor e apresentador de espectáculos).
Fui participante em várias Grandes Noites de Fado no Coliseu dos Recreios em Lisboa.
Com a idade de 16, 17 anos fui convidado para cantar num grupo de baile na Calçada da Picheleira, no Império Clube da Picheleira, grupo que teve por nome “O Expresso”.
Grupos de baile a que pertenci pela seguinte ordem: João Paulo + 5 Trovador 64 Meia – noite Podium etc…. Sendo no conjunto “Os 6 de Portugal” onde permaneci mais tempo (cerca de 12 anos), fazendo bailes por Portugal de lés a lés…
Já o gosto pelo som da guitarra me apaixonava, o que fazia com que assiduamente eu fosse com a minha primeira guitarra, sentar-me ao lado dos guitarristas para tentar conhecer o enorme leque de nomes de fados que existem, vindo mais tarde a tocar para alguns nomes bem sonantes do fado, nomeadamente Fernando Maurício.
Sem nenhuma experiência… foi Fernando Maurício a ser dos primeiros fadistas que acompanhei numa casa de nome “Os Ferreiras” situada na Rua de S. Lázaro, em Lisboa.
Foi este gosto pelo Fado, que me levou mais tarde a participar numa escola de fado com Manuel Coelho, a quem rendo a minha homenagem, e a Armando Tavares.
Essa escola deu lugar à criação de várias outras, das quais eu me orgulho pois nomes actuais do fado tiveram a sua passagem por elas .
Tenho também o privilégio de ter tocado em vários países da Europa: Inglaterra, Holanda, França,Itália,Espanha,Alemanha, Suíça, etc. Canadá: London, Missisauga,Toronto, etc.

in Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

(Pub)
(Pub)