Cante alentejano Património Imaterial Humanidade

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O cante alentejano já é Património Cultural Imaterial da Humanidade.
Decisão da Unesco foi anunciada esta quinta-feira.
Noticia do Expresso de 27.11.2014

Os festejos vão ser, por maioria de razões, a várias vozes. A muito aguardada decisão da UNESCO sobre a candidatura do cante alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade, tomada esta manhã em Paris, confirma o que era já dado como praticamente certo e reconhece este legado da cultural nacional.

Chega assim ao fim, com final feliz, a aventura iniciada formalmente a 28 de março de 2013, data em que a candidatura do cante deu entrada no comité internacional da UNESCO. Elogiada como “exemplar” pela própria organização das Nações Unidas, a apreciação tinha já dado confiança aos alentejanos e, em particular à Câmara de Serpa, como promotora deste desafio.

Estavam todos preparados para celebrar. “Estamos convictos” de que a UNESCO vai classificar o cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade”, dizia quarta-feira de manhã à agência Lusa o presidente da Casa do Alentejo, em Lisboa, João Proença. Por isso, neste espaço lisboeta a festa planeada e far-se-á com grupos corais da área metropolitana da capital. O cante sairá também à rua, com os mesmos grupos, para se fazer ouvir nas zonas pedonais nos arredores, garantiu João Proença.

Já a Câmara de Serpa promove uma festa na Casa do Cante, para grupos corais e população, numa festa que inclui petiscos, vinho e cantares alentejanos, claro.

Em Paris, onde o presidente da Câmara de Serpa, Tomé Pires, aguardava a decisão, ao lado de 21 cantadores do Grupo Coral Etnográfico da Casa do Povo da localidade (a comitiva seguiu viagem no domingo à noite), a expectativa era grande. Depois do fado, Portugal volta a dar música ao mundo.

Cante nas escolas em Beja

Video 27/11/2014
À hora que se anunciou que o cante alentejano foi reconhecido como Património Cultural Imaterial da Humanidade, mais de 400 crianças, da escola Mário Beirão, envolvidas no projeto cante na escola, Herança com raízes, cantaram a moda “Castelo de Beja”.

Imagem: José Ferrolho

© 2014 www.diariodoalentejo.pt

Cante nas escolas

CANTE NAS ESCOLAS EM DESTAQUE NO DIÁRIO DO ALENTEJO

Passaram sete anos, desde que foi implantado no 1º Ciclo, o projeto “Cante nas Escolas”, tendo como mentor e impulsionador Pedro Mestre, que desde sempre acreditou que “levar o cante á escola”, seria uma boa alternativa para a transmissão da nossa tradição musical ás novas gerações, procurando responder a uma questão pertinente e inquietante: “Como se perspetiva o Cante no futuro?”
Tendo em conta que atualmente vivemos numa sociedade, em que os laços familiares e de vizinhança se tendem a perder, a escola assume assim um papel relevante na educação dos mais novos, incluindo o ensino das nossas tradições.

O projeto foi implementado primeiramente no concelho de Almodôvar (2007), seguindo-se Serpa e Ourique (2009), pelo qual já passaram cerca de 700 crianças. Há que salientar que as autarquias e agrupamentos de Escolas, têm assumido um papel importante, uma vez que são entidades promotoras, que desde sempre acreditam no nosso trabalho, bem como os encarregados de educação e demais comunidade escolar e local.

Este projeto tem ganho destaque na comunicação social e redes sociais, motivando que outros projetos de ensino de cante tradicional alentejano, em ambiente escolar, fossem implementados por outros municípios e agrupamentos de escolas, tais como, Vidigueira, Mourão, Castro Verde, entre outros.

O Diário do Alentejo, realizou recentemente um documentário sobre o “Cante nas Escolas” no concelho de Serpa, onde as aulas são dinamizadas por Pedro Mestre e Armando Torrão, com a colaboração dos docentes do Departamento Curricular do 1ºCiclo.

Documentário de José Gonçalo/ Imagens de José Ferrolho e José Gonçalo

Podemos dizer que este projeto é já uma aposta ganha e que o Cante continua para além da sala de aula.
Depois de saírem do 1ºCiclo, as crianças têm mostrado interesse em continuar a aprender o cante e seus alicerces. Neste sentido, surgiu o “Grupo Coral Juvenil de Almodôvar” (atualmente extinto) e o “Grupo Coral de Cante Juvenil de Vila Nova de São Bento”.

Alguns alunos e ex-alunos integram igualmente Grupos Corais da região, contribuindo para a sua renovação.
Os Grupos Corais assumem aqui um papel importante, os quais devem acolher com entusiamo esta nova geração de cantadores, pois são eles o futuro do cante.

A Tradição não se esgota em si mesmo, a sua preservação passa pela transmissão do saber. Neste âmbito, devemos continuar a criar mecanismos e estratégias, para que possamos ir ao encontro do nosso objetivo principal, a preservação e divulgação do Cante Alentejano. Para o efeito, é necessário reunir esforços, para que se “cante a uma só voz”.

Bem hajam todos aqueles que têm contribuído para a salvaguarda do Cante Alentejano em particular, bem como da nossa cultura musical em geral.

(fonte)

Cante nas escolas


Cante Alentejano nas Escolas , Serpa Ano letivo 2010/2011

Carregado por Pedro Mestre a 11/10/2011
O Projeto Cante Alentejano nas Escolas surge com o objetivo de motivar e incentivar as novas gerações para a música tradicional. Está a ser desenvolvido no Município de Serpa desde o Ano Letivo de 2009/2010 e destina-se aos alunos do Ensino Básico do 1º Ciclo. Este projeto é da responsabilidade da autarquia e é dinamizado por Pedro Mestre e Armando Torrão com a colaboração dos professores do Departamento Curricular do 1ºCiclo.
Neste âmbito surge o presente filme, realizado pelo docente/animador Pedro Mestre no Ano Letivo de 2010/2011 durante as aulas de Cante Alentejano, o qual contou com participação dos alunos do 4ºano, pólo 3 da turma 3-E do Agrupamento de Escolas de Serpa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

(Pub)
(Pub)