Cantores

KomTRIBUTOS – Tributos e Sucessos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

      Sexteto Meia Dúzia apresenta um espectáculo único de emoções e composições multigeracional, com interpretações marcantes de temas marcantes de vários autores. KomTributos A Banda que acompanha os 3 solistas são três músicos de eleição. Maioritariamente tem musica portuguesa de vários autores marcantes de várias épocas. Com as vozes principais de Patrick Mendes e Fernando Graça e a Guitarra Portuguesa do Ricardo Silva, acompanhados por Daniel Romeiro nas teclas, Tó-Zé Aguiar na Guitarra e Mário Martinho na Bateria, se faz o Sexteto Meia Dúzia … esta banda nasceu recentemente mas é mais um projeto dos vários intervenientes todos eles com carreiras cheias de presenças em palco. Um brinde à vida e à cultura Contacte. FACEBOOK da BANDA Coimbra é uma lição – Ricardo Silva (guitarra Portuguesa) com Sexteto Meia Dúzia, Fado de Coimbra Verdes Anos de Carlos Paredes com Ricardo Silva – Sexteto Meia-Dúzia Sexteto Meia Dúzia – Fado do Zé Maria Nicolau, Solista: Fernando Graça, Fados Humorísticos, Fados Do nosso Zeca Afonso- “A Morte saiu à Rua“, ao vivo na voz do Patrick Mendes Memorias de um beijo (Patrick Mendes) – Sexteto Meia Dúzia ao vivo Nini dos meus quinze anos – Canções da nossas vidas – Cover Live Variações sobre o Mondego com Ricardo Silva na Guitarra portuguesa de Coimbra Perdidamente – Grandes Musicas portuguesas – Patrick Mendes na voz “Fogo e Paixão – Fascinante Canção “multigeracional“ (Tributo ao Wando)” ““Caruso“ ao vivo com o solista Patrick Mendes o “nosso A.Bocelli“” Fado Humorístico – Burro Malhado – Poesia Popular […]

Carminho

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Fadista Carminho – …Em 2009, Carminho cantava o “Fado” que era o seu fado desde muito nova. Desde que ouvia os discos que os pais tinham, que acompanhava as tertúlias fadistas que se faziam lá em casa, desde que começou a cantar, ainda adolescente, na Taverna do Embuçado. Esse “Fado” era o título de um primeiro álbum que esteve entre os mais aguardados discos da nova geração de fadistas: porque quem já ouvira Carminho sabia o talento que ali estava, mas porque ela se fez esperar – até acabar o curso, até viajar pelo mundo, até saber quem era….

Carlos do Carmo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Com um dos percursos mais sólidos e consistentes do panorama artístico português, Carlos do Carmo comemora 50 anos de carreira com vário concertos em Portugal e no estrangeiro. A sua extraordinária voz partilhou com o piano de Bernardo Sassetti e Maria João Pires dois trabalhos aclamados pelo público que os tornou discos de ouro.

Ana Moura ao vivo

  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    2
    Shares

Ana Moura – Um Fado com Mundo. Não há outra voz no fado como a de Ana Moura. Uma voz que se passeia pela tradição livremente, sem deixar de flirtar elegantemente com a música pop, alargando de uma forma muito pessoal o raio de acção da canção de Lisboa. Mas aquilo que a distingue é não apenas um timbre grave e sensual como há poucos – Ana Moura transforma instantaneamente em fado qualquer melodia a que encoste a sua voz. É um rastilho imediato, uma explosão emocional disparada sem contemplações ao coração de quem a ouve.

Emanuel

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tal como o vinho da região onde nasceu, Emanuel tem ganho substância com o tempo. Apesar do sucesso, insatisfeito por natureza, mas sem abandonar a sua postura humilde, continua sempre à procura de novos sons para satisfazer os seus fãs. “Quem canta seus males espanta” e a verdade é que ao longo dos anos, por todos os locais onde passa, este homem multifacetado continua a ser sinónimo de dança e alegria. Ele continua a cantar e os portugueses “pimba”, não se cansam de o ouvir e aplaudir!

Artista Clemente

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tendo conquistado vários Discos de Prata, Ouro e Platina durante a sua já longa carreira, recheada de inúmeros sucessos, CLEMENTE é certamente dos nomes mais respeitados e aplaudidos do panorama musical português, o que o obriga a inúmeras actuações em território nacional constantemente e a viajar frequentemente pelo mundo para cantar para os nossos compatriotas essencialmente, mas não só.

Mikael Salgado

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Desde muito cedo que eu e os meus pais nos apercebemos da minha vocação para a música e aos 3 anos de idade já tocava órgão em festas de crianças e já cantava uma ou duas músicas infantis. Iniciei a minha carreira de fadista aos 7 anos de idade, numa noite de Fados no Grupo Cénico Amador da Portela, no qual cantei fados que já ouvia há muito tempo e passava horas a ouvir. A partir daí fui fazendo espectáculos pelo país. Entrei para o Conservatório de Coimbra em 1999 para o curso de Guitarra Clássica, onde completei o 7º Grau. Continuei o conservatório em Formação Musical onde completei com 19 valores o 8º Grau. Durante os anos que estive no conservatório, frequentei também 3 anos de canto. Em 2001, ganhei um concurso de Fado Amador no Coliseu do Porto.
Gravei o meu primeiro álbum, intitulado “Um Jardim no Fado”, em dezembro de 2005 sobre o qual fiz vários espectáculos pelo país e gravei depois o meu 2º álbum em 2009, intitulado “Fado Amigo”.