Amália Rodrigues 50 anos de carreira, Recital Coliseu de Lisboa

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    4
    Shares

Um espectáculo comemorativo – Amália Rodrigues 50 anos de carreira da “diva” do fado

Em 7 de Março de 1990 realizou-se no Coliseu dos Recreios um espectáculo comemorativo dos 50 anos de carreira da “diva” do fado, tendo assistido o Presidente da República, Dr. Mário Soares e condecorado Amália Rodrigues com a Grande Cruz Santiago Espada.

Acompanharam Amália Rodrigues, neste grandioso espectáculo Carlos Gonçalves, Pinto Varela, Lelo Nogueira e Joel Pina.

– See more at: www.rtp.pt

Amália Rodrigues 50 anos de Carreira ” Coliseu Lisboa

 

8 de janeiro de 1990




Amália Rodrigues 50 anos

VEJA ENTREVISTA RTP

Programa apresentado por Francisco da Moita Flores que entrevista em estúdio Amália Rodrigues. Inclui a declamação de poesia por atores em estúdio, e imagens de arquivo alusivas à carreira da fadista.

Vídeo 1996

During this celebration concert of her professional Golden Jubilee, Amália was distinguished by the Portuguese President with the Great Cross of Santiago de Espada. The audience, filling up the biggest playhouse in Lisbon paid an enthusiastic hommage to the 50 years of success of the great artist, and Amália sang, tears in her eyes, several of her most famous hits. (in)

Amália Rodrigues

Estreia-se no teatro de revista em 1940, como atracção da peça Ora Vai Tu, no Teatro Maria Vitória. No meio teatral encontra Frederico Valério, compositor de muitos dos seus fados.

Em 1943 divorcia-se a seu pedido. Torna-se então independente. Neste mesmo ano actua pela primeira vez fora de Portugal. A convite do embaixador Pedro Teotónio Pereira, canta em Madrid.

Em 1944 consegue um papel proeminente, ao lado de Hermínia Silva, na opereta Rosa Cantadeira, onde interpreta o Fado do Ciúme, de Frederico Valério. Em Setembro, chega ao Rio de Janeiro acompanhada pelo maestro Fernando de Freitas para actuar no Casino Copacabana. Aos 24 anos, Amália tem já um espectáculo concebido em exclusivo para ela. A recepção é de tal forma entusiástica que o seu contrato inicial de quatro semanas se prolongará por quatro meses. É convidada a repetir a turné, acompanhada por bailarinos e músicos.

É no Rio de Janeiro que Frederico Valério compõe um dos mais famosos fados de todos os tempos: Ai Mouraria, estreado no Teatro República. Grava discos, vendidos em vários países, motivando grande interesse das companhias de Hollywood.

Em 1947 estreia-se no cinema com o filme Capas Negras, o filme mais visto em Portugal até então, ficando 22 semanas em exibição. Um segundo filme, do mesmo ano, é Fado, História de uma Cantadeira que é outro grande sucesso.

Amália é apoiada por artistas inovadores como Almada Negreiros e António Ferro. É esse que a convida pela primeira vez a cantar em Paris, no Chez Carrère, e a Londres, no Ritz, em festas do departamento de Turismo que o próprio organiza. Ricardo Espírito Santo também foi seu Mecenas.

A internacionalização de Amália aumenta com a participação, em 1950, nos espectáculos do Plano Marshall, o plano de apoio dos Estados Unidos à Europa do pós-guerra, em que participam os mais importantes artistas de cada país. O êxito repete-se por Trieste, Berna, Paris e Dublin (onde canta a canção Coimbra, que, atentamente escutada pela cantora francesa Yvette Giraud, é popularizada por ela em todo o mundo como Avril au Portugal).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

(Pub)

Categorias