hip hop

Agir

«Leva-me a Sério», o novo disco de Agir editado pela Valentim de Carvalho, com apoio da MEGA HITS, saiu dia 30 de Março de 2015. São 19 canções, escritas e produzidas pelo próprio, que demonstram o imenso talento de um dos principais cantores da nova música portuguesa de expressão urbana.

Carlão

Em 2015 Carlão (a.k.a. Pacman) completa quarenta anos de idade. O vocalista/letrista, que ficou conhecido do público como uma das caras dos saudosos Da Weasel, pediu música a vários produtores da praça – Fred & King Kong, Branko, D.J. Glue, Holly Hood, Agir – para o disco que chegará às lojas em Março, justamente intitulado “Quarenta”. O músico também contou com a colaboração de vários amigos, como Sara Tavares (em dois temas, sendo um deles composto pela própria), New Max (Expensive Soul) e Dino D’ Santiago, que contribuem com as suas vozes notáveis neste disco…

Dealema ao vivo

Musica portuguesa, Porto, bandas de Rap, Os Dealema são um dos mais antigos grupos de Hip-Hop português, criado na década de 90, com membros de Gaia e do Porto. Começaram com a fusão de dois projetos – Factor X que juntava Mundo Segundo e DJ Guze, e Fullashit na qual estavam Fuse e Expeão – entretanto conheceram o quinto elemento Maze, e todos juntos formaram os Dealema que há 18 anos se mantêm no ativo exatamente com a mesma formação.
Todos os membros da banda são também produtores, o que tem gerado um crescente número de fãs não apenas em Portugal, mas em outros países de língua oficial portuguesa onde a banda tem já uma base sólida de seguidores.
Depois de em 1996 terem chamado a atenção de público e imprensa pelo caráter interventivo das suas letras com o mítico “Expresso do Submundo”, seguiu-se na discografia o álbum homónimo em 2003 e o “V Império” em 2008 que viriam confirmar que o eixo Porto/Gaia respirava hip-hop na sua forma mais bela.
Dois anos mais tarde associam-se numa parceria de sucesso à Optimus Discos editando o EP “Arte de Viver” que catapultou os Dealema para a ribalta mostrando que o hip-hop não tem que ser negro para ser forte. Em 2011 a banda volta aos beats pesados e à lírica mais negra com “A Grande Tribulação”. Neste disco o pentágono pinta a tela do momento pré apocalíptico que paira sobre a humanidade. Como sempre a sua mensagem pretende de forma direta provocar no ouvinte sentimentos concretos tendo como veículo a poesia e ambientes carregados de intensidade.
A terminar o ano de 2013 chega “Alvorada da Alma”, que é um regresso às origens, onde tudo começou, à paixão pela música desde o primeiro momento até ao que ela representa hoje. O trabalho conta pela primeira vez com 12 convidados, alguns deles nomes internacionais da cena hip-hop e outros vindos de universos musicais distintos do rap, denunciando uma diversidade sonora que se espera grandiosa. Cada convidado encaixa na perfeição nesta alvorada, cedendo os ingredientes da sua identidade a uma composição de 17 canções que foi revelada a 16 de Dezembro.