Cuca Roseta cantou “Avé Maria” no seu casamento

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    4
    Shares

Cuca Roseta cantou Ave Maria




Arrepiante a interpretação de Ave Maria da fadista Cuca Roseta, no seu próprio casamento, em Junho 2017 em Óbidos.

Cuca Roseta cantou “Ave Maria” no seu casamento

A fadista Cuca Roseta quis fazer uma surpresa aos convidados e no seu casamento com João Lapa cantou a sua versão de “Avé Maria” de Schubert.

Foi uma surpresa para os convidados do casamento de Cuca Roseta. Ainda no altar da igreja matriz Santa Maria, em Óbidos, a fadista pegou no microfone e cantou a sua versão de “Avé Maria” composta por Franz Schubert em 1825. O vídeo foi agora divulgado.

Este foi um dos momentos altos da cerimónia religiosa, realizada a 3 de junho passado, entre Roseta e o preparador físico, dois anos depois de terem trocado alianças pelo civil e após quatro de relação.
(in JN)

Cuca Roseta é uma das mais aclamadas fadistas da actualidade. Começou a cantar fado aos 18 anos, numa casa de Fados e rapidamente viria a ser destacada e reconhecida pela sua voz e por todo o seu talento. O grande passo foi dado logo no seu inicio, quando Gustavo Santaolalla (premiado produtor internacional, detentor de grammys e Oscares pelas bandas sonoras “O Segredo de Brokeback Mountain e Babel”) a ouviu em Lisboa. Gustavo viu em Cuca Roseta tantos talentos artísticos que de imediato a convidou a gravar o seu álbum de estreia. O disco homónimo teve um enorme sucesso e veio rapidamente a posicionar Cuca Roseta na linha da frente do Fado.
Se tudo aquilo que fez no seu primeiro disco foi brilhante, Cuca Roseta volta a surpreender no seu segundo álbum, de nome “Raiz”, expandindo o seu universo e assumindo-se como compositora e letrista da maior parte dos temas. O trajecto de Cuca Roseta afirmava-se desde a primeira hora a um processo de descoberta individual, sempre disposta a buscar-se a cada novo disco, a cada nova oportunidade de se mostrar a um público que cedo se lhe rendeu.
Do Brasil, viria em seguida o enquadramento do seu terceiro álbum. Riû, produzido por Nelson Motta – compositor e jornalista que foi o grande responsável pelo lançamento da carreira de Marisa Monte e foi um colaborador próximo de Elis Regina –, significava uma vez mais alguém que, chegado de fora, se enamorava perdidamente pela voz de Cuca.
Motta, que não aceitara produzir nenhum outro disco ao longo da década anterior, deixou-se seduzir pelo fado particular de Cuca Roseta e propôs-se dar-lhe mundo. Para Cuca, Riû era um momento especial de namoro com o Brasil, juntando autorias e convidados tão diferentes quanto Ivan Lins, Jorge Drexler, Bryan Adams, Djavan, Sara Tavares ou Jorge Palma. Mas não apagava o seu passado recente e também a cantora assinava várias letras e duas composições.
E em 2018 ()

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

(Pub)
(Pub)